sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Vinhosque!



Vinho...taí um troço que eu achei que nunca iria mencionar aqui! Mas depois de tomar uma taça de um "fino" almadén no Torto, mudei de idéia.

O vinho bebida que adquiriu uma aura de sofisticação ainda maior nos últimos tempos aqui no Brasil, já era bebido intensamente em botecos e pés-sujos ao redor do mundo. Baco que o diga !

Aliás, o vinho sempre foi presença garantida em muito boteco por aí, desde a época do vinho de garrafa azul, na época o último grito do chique, já tava presente com os vinhos de garrafão de colônia que quebrou muito dente por aí.




Então é o seguinte, por mais humilde que seja o boteco, sempre vai tem uma garrafinha lá na prateleira e não é vergonha nenhuma tomar uma tacinha, ainda que os demais presentes estejam na cerva. O vinhote cai bem, ainda mais nesse último suspiro do inverno.

Assim se tá afim de tomar uma tacinha no bar, tome e se for o caso, tome toda a garrafa e guarde a rolha de recordaçã!

Saludos!
Guti Oliveira

3 comentários:

  1. Don Ribas, e tem mais: butequim ruteza tem aqueles vinhos com "pincha" como dizemos lá de nóis, de onde eu venho. Pincha, para os incautos, é a famosa tampinha de garrafa de cerveja, servido em copo "old fashioned" (o famoso copinho de puta) até o talo.

    Para o "verã" (como diria o host deste espaço) sugiro uma iguaria com vinho de carregação (termo cunhado pelo meu velho, seu Gabiru) aprendida além-mar, em terras de Castilla y León: o CALIMOTXO. Em copo enorme, cheio de gelo, 50% do pior vinho disponível e 50% de coca-cola. Sucesso!

    ResponderExcluir
  2. Nobre Diplomata:
    Muito embora a alcunha de seu drink aprendido em terras de além-mar me faça dobrar a língua 3x para pronunciá-lo, conheço a mesma composição alcólica
    com o jocoso nome de "porta aberta".

    Saludos!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns o seu blog está muito bonito.

    ResponderExcluir